ÁREA DO ASSINANTE






Atualizado em 27/09/2017

Comentários – Benedito Said

VOZ - Hoje comemora-se o dia do surdo. A rede municipal de ensino tem vinte alunos com deficiência auditiva e durante toda a semana terão atividades especiais para que sejam lembrados sempre na direção da inclusão total. A Diretoria Técnico-Pedagógica e Coordenadoria de Educação Inclusiva prepararam programação especial para marcar a data, rememorando a história do surdo, dinâmicas entre surdos e ouvintes, com brincadeiras, jogos e atividades educacionais.

SOM - No Egito Antigo, os surdos eram adorados, como se fossem deuses, serviam de mediadores entre os deuses e os Faraós, sendo temidos e respeitados pela população. Na época do povo Hebreu, na Lei Hebraica, aparecem pela primeira vez, referências aos surdos. Na Grécia Antiga não tinham privilégios, ao contrário eram marginalizados. Na Idade Média, eram usados como mão de obra secundária, abandonados ou até incluídos em algum sentido. Os cristãos, até à Idade Média, criam que os surdos, diferente dos ouvintes, não possuíam uma alma imortal, uma vez que eram incapazes de proferir os sacramentos. John Beverley, em 700 d.C., ensinou um Surdo a falar, pela primeira vez (em que há registo). Por essa razão, ele foi considerado por muitos como o primeiro educador de surdos.

TEMPO - Foi só no fim da Idade Média e inicio do Renascimento, que os educadores e sociedade saíram da perspectiva religiosa para a perspectiva da razão em relação aos surdos, quando a deficiência passa a ser analisada sob a ótica médica e científica. Mas o passo para a inclusão total ainda foi longo e ainda tem seus percalços. Um desses percalços, que ainda assola esse território, foi a luta entre defensores do oralismo e do gestualismo. Num congresso realizado em Milão em 1880, chegou-se à conclusão não unânime de que “o uso da língua falada, no ensino e educação dos surdos, deve preferir-se à língua gestual”.

IDADE - Começou ontem em Montes Claros a 17ª Semana do Idoso, tendo à frente a Coordenadoria Municipal do Idoso. Conforme Cibely Dias Freire Diniz, o enfrentamento na defesa das pessoas da terceira idade é ainda centrado no combate aos maus-tratos. Segundo ela, 95% dos casos de violência contra as pessoas longevas estão centrados na violência dentro da família, com as pessoas deixando de cuidar dos idosos, inclusive disputando o salário mínimo que o aposentado recebe, como se fosse uma fortuna a ser rateada entre até aqueles em condições de trabalhar, por serem novos, ativos e até em muitos casos mão de obra qualificada. Mas há também entre os mais abastados disputadas por herança ou bens que acabam resvalando no prejuízo da pessoa idosa, muitas vezes retirado de cena à força ou em exílio dentro da própria residência.

FORA - Cibely Diniz lembra que a pessoa idosa um dia foi útil, foi ativa, manteve os cuidados da família e dos filhos. Mas, quando a família não está centrada em valores da própria vida, sedimentada em conceitos de solidariedade, amor filial, espiritualidade, visão da dignidade, aquele que foi pai ou mãe, com força motora, agora são relevados a terceiro plano, sem voz e vez, o que gera agressões de todo o tipo, inclusive exclusão, abandono, impaciência, sem cuidados elementares com alimentação, saúde. Fora os casos em que os idosos são agredidos fisicamente. “Temos que ter um trabalho constante de conscientização da sociedade em favor do idoso e ao mesmo tempo de defesa para que essa faixa etária não seja de maneira contínua desrespeitada, agredida, marginalizada. Isso não é digno.”

LUZ - A Alpargatas fez um trabalho brilhante na limpeza, reforma e adequações de acessibilidade na Escola Municipal Ruy Lages, domingo último. Reuniu 120 dos seus colaboradores para esse exercício de cidadania em mutirão sintonizado no quesito fazer o bem. Sob ordenação do diretor de RH, Elias Martins, na mesma toada colocada pelo diretor-executivo Berilvado Araújo, quando da assinatura de parceria daquela indústria com a Prefeitura de Montes Claros, no início do ano, foi possível organizar grupos de trabalho voluntário, numa demonstração de solidariedade e compromisso com a educação da rede municipal de ensino e mais de 31 mil estudantes. O convênio prevê promoção do esporte em 38 unidades da rede municipal de ensino e mais essa reforma específica. No final de outubro, essa edição do projeto será encerrada com premiação dos melhores professores e projetos esportivos.

NADA - Enquanto isso, o Governo Federal define que será mantido o horário de verão. Alegou-se até que o horário de outubro a fevereiro já está incorporado à vida do brasileiro do Sul/Sudeste e retirá-lo causaria mais desgaste ao presidente Michel Temer, que enfrenta nova denúncia no Congresso. Que coisa.

FERRO - Então, toma mais. No Brasil, os seis maiores bilionários têm a mesma riqueza e patrimônio que os 100 milhões de brasileiros mais pobres. Caso o ritmo de inclusão no mercado de trabalho prossiga da forma como foi nos últimos 20 anos, as mulheres só terão os mesmos salários dos homens no ano de 2047, e apenas em 2086 haverá equiparação entre a renda média de negros e brancos. De acordo com projeções do Banco Mundial, o país terá, até o fim de 2017, 3,6 milhões a mais de pobres. Essas são as constatações do relatório "A distância que nos une, um retrato das desigualdades brasileiras", divulgado ontem pela Oxfam Brasil.

Para ler a coluna completa Assine aqui o JN Notícias

Comentários