ÁREA DO ASSINANTE






Atualizado em 13/09/2017

Comentários – Benedito Said

CÃO - Neste ano, em Montes Claros, foram registrados 26 casos de leishmaniose em humanos. Dois óbitos foram conclusivos para a doença, sendo que um ainda está sob investigação. A população canina na cidade está entre 60 mil a 65 mil animais, 50% a mais do limite preconizado pelo Ministério da Saúde. O Ministério da Saúde pontua que a população canina não ultrapasse a marca de 10% em relação à população humana.

AÇÃO - Por outro lado, conforme o coordenador do Centro de Controle de Zoonoses de Montes Claros, Luís Osmane Borges, começou ontem a Semana Municipal de Prevenção e Controle da Leishmaniose Visceral, o temido calazar que tem no mosquito-palha seu transmissor, desde que contaminado no lombo do cachorro doente.

BANDEIRA- Ontem, sob orientação da Secretaria Municipal de Educação, foi realizada reunião em conjunto com a Polícia Militar para avaliar o Desfile de Sete de Setembro. Elogiado pela população, o desfile teve alguns problemas a partir de atrasos provocados pela ligação de som no palanque e chegada da Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal para desfilar. Houve entidade que não seguiu o número de pessoas programadas para desfilar. Por esses motivos, o desfile que deveria ser finalizado às 11 horas só fechou o cortejo por volta das 11h30.

TODOS - Apesar do comando da Secretaria Municipal de Educação, o Desfile de Sete de Setembro, trata-se de evento coletivo, pelo que se deve ter compreensão global, responsabilidade de todos. Na vida socioeconômica, na educação e na saúde, no jogo, no amor, sempre é possível avaliar para melhorar, deixando exemplos para os que virão após. Para isso, não se deve cair na defensiva, sempre se olhando o melhor. A população aprovou o evento, como se pôde ver na avaliação, principalmente no quesito mobilidade e evolução. Um bom começo para se exigir mais daqueles que estão diretamente envolvidos nesse movimento cívico e de cidadania.

BANCO - Os bancos abriram 218 novas agências no ano passado, contra 1.031 em 2016. Os dados são das juntas comerciais, compilados pela Neoway. Cada unidade precisa de um CNPJ para operar, e assim as aberturas aparecem no levantamento, diz Cristina Della Penna, diretora da empresa que apurou os números. "A crise econômica desses dois anos explica a diminuição do número de agências, que deve continuar", afirma. Em Montes Claros a situação piorou visivelmente foi com fechamento de agências do Banco do Brasil e as três que restaram têm atendimento restrito ainda mais no final/início de semana, quando alguns caixas eletrônicos ficam sem funcionar. Que fase.

DOAÇÕES - O Senado aprovou lei para a criação de fundos de doações a entidades sem fins lucrativos que promovem ciência, cultura e ensino. No Brasil, o bem tem mesmo muita dificuldade para sobreviver. Prova disso são as leis que podem favorecer ao setor de serviços e filantropia e que demoram a virar realidade.

ÁGUA - Ontem, o prefeito Humberto Souto fez comunicação sobre providências do âmbito municipal para garantir abastecimento de água na cidade. Para o prefeito, a gravidade do problema exige participação da administração municipal, mas também envolvimento direto do estado. Lembra que há muitos e muitos anos não há investimento em captação de água  cidade, cuja população ultrapassou a marca de 400 mil habitantes, mas tem população flutuante do mesmo tamanho, fora vida socioeconômica de alta potencialidade. No passado perdeu-se muito tempo com discussões vazias, projetos não executados e hoje o preço que se paga é caro. No entanto, o prefeito disse que trabalhará com afinco para que os dramas atuais sejam minorados e uma solução definitiva saia do papel pára garantir água ao povo de Montes Claros.

 

Para ler a coluna completa Assine aqui o JN Notícias

Comentários