ÁREA DO ASSINANTE






Atualizado em 06/09/2017

Comentários – Benedito Said

FOCO - O promotor de Justiça Felipe Caires, que responde pela coordenadoria do Patrimônio Público e do Consumidor, afirmou que está prevista para o mês de outubro a realização de licitação para o transporte público ou a renovação da concessão “e será um momento histórico para que a prefeitura de Montes Claros possa negociar melhores condições no transporte de passageiros”, em benefício da população e da cidade. O promotor lembrou que a passagem de ônibus de Montes Claros é uma das mais baratas do país, graças à fiscalização, organização de planilhas e cálculos reais, o que também induz à melhoria no transporte público, “pois não adianta ter apenas passagem justa se o transporte não for de qualidade”, daí o momento histórico para a negociação com as empresas do setor.

UNIÃO - Felipe Caires lembrou que deve prevalecer a imparcialidade da Justiça e de seus agentes no combate à corrupção, mas a população também tem que participar, inclusive seguindo os exemplos que dignifique a cidadania: “não adianta transferir culpas e responsabilidades, pois o cidadão também deve dar exemplo”. Como exemplo citou que os políticos que cometem crimes de corrupção ou que atuam em benefício próprio, deixando o interesse coletivo de lado, não vieram de Marte, nasceram aqui e foram ungidos ao posto em que estão pelo voto, pelo que se exige consciência e escolhas melhores.

AVANÇO - O promotor Felipe Caires apontou que a reforma política precisa ocorrer, apesar de o momento não ser ideal, mas, sendo aprovada, vá ao referendo popular, dando, então, credibilidade a partir da aprovação ou não da população. Ele entende que o fim de financiamento das campanhas eleitorais por parte de empresários é um avanço importante e que não pode passar por retrocesso, ao mesmo tempo que condenou os valores propostos para um fundo partidário, que seria preenchido com dinheiro público: “não precisa de valor tão elevado, como esse de três bilhões e meio de reais”.

BANCO - Atuando também na defesa do consumidor, o promotor Felipe Caires disse que agora apenas um banco ainda se mantém reticente em agir para que a lei de atendimento nas filas naqueles estabelecimentos, que prevê espera máxima de 20 minutos (sendo cinco minutos de tolerância), seja plenamente cumprida. Recentemente, dois bancos foram notificados pelo Ministério Público para que atendessem o público no tempo hábil. Como não agiram para atender o questionamento, acabaram proibidos de abrir novas contas, inclusive com determinação confirmada pela Justiça. Um dos bancos já procurou o Ministério Público para ajustes, contratando mais dez profissionais para dar atendimento correto à população e melhorando a prestação de serviço.

FÉ - O padre Wagner Eduardo Dias está na Grécia. Amplia seus conhecimentos teológico. O celebrante da chamada Missa da Cura, ás quartas-feiras na Catedral de Nossa Senhora Aparecida, mantém programa líder de audiência na Rádio Educadora (AM 670), todos os dias, às nove horas da manhã.

ON-LINE - A paisagem nas startups mudou: já não predominam mais os garotos de vinte e poucos anos de tempos atrás. Em três das mais conhecidas aceleradoras de negócios inovadores no país a presença de empreendedores com mais de 35 anos de idade é majoritária. Na Wayra, ligada ao grupo Telefônica, todos os escolhidos para o último programa de aceleração estão acima dessa faixa etária, afirma Renato Valente, diretor da iniciativa no Brasil. Aceleradoras de startups têm estreitado o relacionamento com grandes empresas, especialmente por serem um canal importante de demanda e recursos para os negócios em que investiram.

ROTA - Em Montes Claros startup ainda engatinha, apesar de estudantes de cursos de engenharias da cidade já apresentarem alguns modelos de sucesso. O detalhe é a interatividade, que vai exigir amadurecimento e desprendimento de conhecimento, que precisa ser compartilhado. Chama a atenção, no entanto, empresas da cidade que estão investindo em vendas virtuais. É um caminho valioso e cada mais caindo no entusiasmo do consumidor. A Drogaria Minas-Brasil é um exemplo nessa área, pois está ampliando suas vendas on-line, com corpo profissional sendo capacitado.

HIDRO - O montes-clarense não compreendeu ainda que a cidade vive uma hídrica sempre precedentes. Está achando que a água vai brotar da rocha com aplicação de um cajado messiânico. Não é assim. Além de destruir a natureza, utilizar água sem qualquer cerimônia preservacionista, a população, de maneira geral, pensa que o problema é apenas da concessionária que administra o setor de águas públicas. É problema de todos, inclusive quanto ao desperdício nas casas. Ou então faz um curso on-line para saber viver sem água, como um caruncho.

Para ler a coluna completa Assine aqui o JN Notícias

Comentários