ÁREA DO ASSINANTE






Atualizado em 04/09/2017

Acontece em política – Hélio Machado

Reajuste barrado

Herança dos governos do PT, a crise econômica nacional reflete em todos os setores da sociedade. Os trabalhadores, que o partido deveria defender, são os mais prejudicados com o aumento do desemprego. Os últimos levantamentos indicam 14 milhões de desempregados no País, com dificuldades para sustentar suas famílias. Mesmo assim, quem está empregado e recebe bons salários, quer reajuste, mesmo que o momento da economia não seja oportuno para fazê-lo. É o caso dos juízes de direito. Nada contra os magistrados, que prestam relevantes serviços à sociedade, mas a conjuntura não é a mais adequada para se falar em majoração salarial. O ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin rejeitou nessa quinta-feira ação movida por uma associação nacional de juízes com o pedido de que fosse garantido o reajuste salarial com base na inflação dos últimos anos. A ação, proposta pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB)) afirma que o STF e o Congresso Nacional foram omissos ao não garantir a revisão geral anual ao salário dos juízes.

A regra da revisão geral está na Constituição Federal e prevê a recuperação das perdas inflacionárias aos servidores públicos. A última vez em que o salário dos ministros do STF, parâmetro para todo o Judiciário, foi reajustado foi em 2015. Hoje, um ministro do tribunal tem R$ 33,7 mil de salário.  No último dia 9, os ministros da Suprema Corte decidiram ficar mais um ano sem reajuste, em decisão tomada em sessão administrativa. O percentual de majoração, defendido por associações e juízes, era de 16,3%. Ao decidir não propor o amento dos salários, agora, o STF agiu corretamente. Prevaleceu o bom senso, que infelizmente não norteou a ação de entidade que representa os magistrados, de recorrer ao Supremo na tentativa de garantir a elevação dos vencimentos e com percentual elevado, tomando por base o quadro de dificuldades econômicas do País. Os magistrados podem ficar mais um ano com os salários congelados, que não vai afetar o padrão de vida. Quem sofre para sustentar a família é quem ganha salário mínimo. Quem está em situação mais crítica, ainda, são os desempregados.

 

SUCESSÃO – Governador Fernando Pimentel, do PT, põe literalmente o pé na estrada, e percorre todas as regiões de Minas, visando a pavimentar o caminho em busca da renovação do mandato, nas eleições do próximo ano. Embora sua situação não seja confortável, pelo desgaste acumulado, o petista segue adiante. Durante as visitas em que anuncia pequenos serviços, ele mantém contatos com lideranças. Não quer perder de vista o ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, do PSDB e o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Dinis Pinheiro, do PP, pretensos candidatos à sua sucessão.

PMDB – Principal parceiro do PT em Minas, o PMDB emite sinais de que pode desfazê-la para disputar as eleições do ano que vem. Pelo menos parece ser a intenção do presidente do partido, o atual vice-governador Antônio Andrade. De olho em uma das duas cadeiras de Minas no Senado, ele iniciou périplo pelo interior do Estado, nessa sexta-feira, em companhia do deputado federal Rodrigo Pacheco, presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados. Rodrigo busca cacifar para tentar concorrer ao governo do Estado. A pretensão vai gerar muita polêmica na sigla.

MERCADO – A Câmara Municipal iniciou com audiência pública na manhã dessa quinta-feira, a discussão sobre a situação crítica do Mercado Sul, que está abandonado, há anos, pelas sucessivas administrações. Proposto pelo vereador Wilton Dias, do PHS, o debate, que teve a participação dos secretários municipais de Agricultura, Osmani Barbosa Neto e de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Edílson Torquato, foi importante para se criar perspectivas de revitalizar o espaço físico, que não pode mais ficar jogado. Afinal de contas, é um imóvel importante para o Município e para a população.

MOVIMENTO – Presidido por José Cândido Souza, o conhecido Candinho, o Movimento Gay dos Gerais (MGG), articula a todo vapor em Montes Claros, em defesa dos interesses deste público alvo. Representantes dele foram recebidos na noite dessa quarta-feira, 30, pelo prefeito Humberto Souto, em seu gabinete, na Prefeitura. Durante a reunião, pediram apoio ao chefe do Executivo para a realização da parada LGBT, na cidade após cinco anos. Candinho destacou a liderança do prefeito, desejou-lhe sucesso no comando dos destinos do Município e agradeceu o apoio que tem dado ao MGG.

Cresce CORDA –a expectativa, nos meios políticos e junto à população, para a participação do vereador Aldair Fagundes, do PT, no Programa Na Corda Bamba, na TV Geraes, neste sábado, ao vivo, das onze horas ao meio dia. Um dos temas principais é a crise hídrica, que ele acompanha de perto. Por conta disso, aprovou requerimento na Câmara Municipal, nessa terça, pedindo aos órgãos ambientais do Estado a imediata suspensão da outorga de água da reflorestadora Plantar, em Juramento, para irrigar eucalipto. Este fato compromete a barragem que abastece a cidade. Perguntas pelo telefone 3221-9498 e 3216-6385.

ASFALTO – Com seis mandatos consecutivos à Câmara Municipal, o vereador Ildeu Maia, do PP, que foi secretário de Agricultura na gestão passada, alimenta o sonho de asfaltar as estradas que dão acesso aos distritos, projeto que o ex-prefeito Ruy Muniz, pretendia viabilizar, mas não pôde devido aos contratempos e a decisão da Justiça de afastá-lo da Prefeitura. Em recente reunião do Legislativo, apresentou requerimento propondo ao prefeito Humberto Souto, do PPS, que ponha o projeto em prática, afirmando que fica bem mais barato do que reformar as estradas todo ano. Apresentou números apontando a economia.

TIRIRICA – Palhaço mais famoso do País, Francisco Everardo Oliveira Silva, mais conhecido por Tiririca, também deputado federal pelo segundo mandato consecutivo, com votação expressiva, se apresenta neste sábado às 20 horas, no Centro de Eventos do Parque de Exposições João Alencar Athayde. Ele apresenta o Show Minha História, com a previsão de participação de 1.500 pessoas. Parte da renda será destinada ao Centro de Atendimento Javé Nessi (Cajan), instituição beneficente que trabalha com adolescentes e a família deles, em situação de uso/abuso de drogas e vulnerabilidade social.

SEMIÁRIDO – Mais uma audiência pública foi realizada pela Câmara Municipal. Desta vez, nessa sexta-feira pela manhã, para discutir projeto do deputado federal Zé Silva, do Rede Solidariedade, que visa à inclusão de mais municípios mineiros no semiárido, para acesso a benefícios do governo federal. A reunião foi proposta pelo vereador Júnior Martins, do PPS, e contou com a participação de lideranças políticas da região. Mostrou-se a necessidade de pressão política para que seja aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, presidida pelo deputado Rodrigo Pacheco, do PMDB de Minas.

Para ler a coluna completa Assine aqui o JN Notícias

Comentários