ÁREA DO ASSINANTE






Atualizado em 01/09/2017

Acontece em política – Hélio Machado

Recursos para Congonhas

Sem chover regularmente a crise hídrica é uma realidade da qual não podemos fugir. Pelo contrário, temos que enfrentá-la e buscar formas, na pior das hipóteses, para amenizá-la. E a Copasa tem papel preponderante neste particular como exploradora dos serviços de água e esgoto em Montes Claros há mais de 30 anos, desde a extinção da Caemc, a quem sucedeu. E deve partir para um projeto mais ousado de construção da barragem de Congonhas, apontado como a solução para o problema, pela própria Copasa, nos próximos anos. Se Congonhas é a alternativa, não se justifica, de forma alguma, investir mais de R$ 130 milhões em projeto de captação de água do Rio Pacuí, que também está se cando e não tem como complementar o abastecimento em Montes Claros. Em condições normais, não dá para entender a posição da empresa. Há, no mínimo, contrassenso, falta de conexão do discurso com a prática. Se a solução é Congonhas, porque não concentrar todos os esforços para viabilizar o projeto, sem a participação do poder público?

A própria Copasa, que aufere lucros dos mais expressivos em Montes Claros, tem condições de investir recursos próprios para tirar Congonhas do papel. Se a empresa não se dispõe a enfiar a mão no bolso é outra questão.  Parece não haver mesmo esta disposição, porque a proposta é de se construir a barragem com dinheiro do governo federal. Como ele não sinaliza liberá-lo, sequer mostra interesse e vontade política, a empresa não chama para si a responsabilidade do projeto. Ainda que não tenha a disposição em lançar mão de recursos próprios, a Copasa pode recorrer à Sudene, que tem recursos do FNE e FNDE pra investir em infraestrutura, em que se enquad ra a barragem. Desta forma, não tem qualquer sentido trabalhar outro projeto sem perspectiva de se resolver o problema, como o do Pacuí. Aliás, os recursos que se pretende investir lá, é um bom começo para Congonhas, significam mais ou menos trinta por cento do investimento total.  A Copasa precisa colocar a mão na consciência e rever este projeto. Não queremos paliativos, mas algo concreto, que nos garanta água nas torneiras.

 

INAUGURAÇÃO – A Assembleia Legislativa de Minas Gerais inaugurou novo auditório, em solenidade nessa segunda-feira, para melhorar sua estrutura de trabalho. E homenageia o ex-vice-presidente da República, José Alencar, dando-lhe o nome ao espaço. Durante a inauguração, as falas destacaram o papel relevante que o ex-vice exerceu em Minas e m nível nacional, como empresário bem sucedido, proprietário do Grupo Coteminas, um dois mais sólidos do setor têxtil no País e na vida pública, primeiro como senador e depois como vice-presidente de Lula, do PT, dando credibilidade e peso à chapa junto ao empresariado.

 COTADO – O empresário Josué Gomes da Silva, que recebeu a homenagem em nome de seu pai, disse que nada melhor que uma homenagem ao ex-vice-presidente da República na forma de um espaço que vai ampliar a participação popular. Deixou claro que José Alencar era um homem que procurava construir o consenso a partir do diálogo. Estreante na política nas eleições de 2014 em que concorreu à cadeira no Senado, pelo PMDB, em que teve mais de t rês milhões de votos, mas não se elegeu Josué é apontado, agora, como pretenso candidato ao governo de Minas. Contudo, ele não se manifesta sobre o futuro político.

DESCARTADO – Mesmo com a insistência do PSDB e partidos aliados, para que seja candidato a governador, mais uma vez, o senador Antonio Anastasia, disse mais uma vez, em Belo Horizonte, em entrevista, que não deseja voltar às urnas, nas eleições do aproximo ano. Contudo, deixou claro que seu partido tem nomes em condições de concorrer, sem descartar que o candidato seja de um dos partidos aliados do PSDB. Contudo, deixou claro que qualquer que seja o concorrente vai participar efetivamente da campanha, em visitas pelo interior do Estado, com o objetivo de ajudar a elegê-lo.

MEDALHAS – Com apenas oito meses de legislatura, a Câmara Municipal tem mostrado serviços mais concretos à população. E este trabalho tem refletido até fora da cidade e rendeu homenagens aos vereadores Cláudio Prates, presidente da Casa Legislativa, ao ex-presidente Marcos Nem, do PSD e ao presidente da Comissão de Meio Ambiente, Sóter Magno, do PP, o único dos três que cumpre o primeiro mandato. Eles receberam, em Belo Horizonte, a Medalha Tiradentes, concedida a quem presta relevantes serviços à população. Como a homenagem é anual, Cláudio a recebe pela quinta vez.

AUDIÊNCIAS – Por falar em trabalho da Câmara Municipal, duas audiências públicas serão realizadas em sequência, na manhã desta sexta-feira. A primeira às oito da manhã, do vereador Júnior Martins, do PPS, que visa discutir a inclusão de municípios da região no semiárido. A segunda, às dez da manhã, do vereador Wilton Dias, do PHS, secretário do Legislativo, que visa discutir projeto que prevê que a MCTrans dê ciência aos motoristas infratores e primários, que podem pedir a conversão da pena pecuniária da multa de trânsito em advertência. Duas audiências que devem movimentar o Legislativo.

PRIMEIRO – Preocupada com os problemas sociais em Montes Claros, que tendem a se agravar, sobretudo envolvendo jovens, a vereadora Neia do Criança Feliz, do PSDC, busca estabelecer parcerias para potencializar o Programa Primeiro Emprego do governo federal. Ela quer a participação efetiva no programa dos empresários de diversos setores. Para tanto, a vereadora vai se reunir com os presidentes da Fiemg Norte e vice-prefeito, Adauto Marques, do PP, da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Ernandes Ferreira e do Sindicato do Comércio, Glenn Andrade, visando discutir a inserção das empresas.

FENICS – Diretoria da Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI), presidida pelo empresário Newton Figueiredo a mil por hora nos preparativos para a realização de mais uma edição da Feira Nacional da Indústria, Comércio e Serviços (Fenics), de 14 a 17 de setembro, no Parque de Exposições João Alencar Athayde. Com projeção nacional, como o próprio nome sugere, a feira traz à cidade expositores de diferentes regiões, que apresentam novidades. Além disso, ao longo dos anos, ela tem contribuído para atrair novos investidores para a cidade, fortalecendo a economia e gerando mais emprego.

REPERCUSSÃO – Convenção do PDT, nesse domingo na Câmara Municipal, para a eleição do novo diretório e da executiva, repercute sobremaneira e positivamente em Montes Claros. Primeiro, pela presença do ex-ministro Ciro Gomes, pré-candidato do partido à Presidência da República, que falou com propriedade sobre seu projeto político para redirecionar os destinos do País. Segundo, pela manifestação do titular da coluna, presidente do partido ao abordar a crise hídrica e pedir a Ciro que ponha em seu projeto de governo a construção da barragem de Congonhas, para garantir abastecimento de água à cidade.

 

 

 

 

 

Para ler a coluna completa Assine aqui o JN Notícias

Comentários