ÁREA DO ASSINANTE






Atualizado em 17/07/2017

Produção industrial registra queda de 0,2%

Foto:
Entre os setores que tiveram aumento estão as indústrias extrativas

Após crescer 0,5% em abril, a produção industrial mineira voltou a cair em maio na série com ajuste sazonal. O Estado registrou queda de 0,2% sobre o mês imediatamente anterior, ficando entre os quatro locais pesquisados com resultados negativos no País. Já na comparação mensal e no período de janeiro a maio, o parque produtivo de Minas Gerais manteve os índices positivos, enquanto no acumulado dos últimos 12 meses também ficou negativo.

Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os principais destaques positivos no Estado ocorreram na indústria extrativa e no setor de veículos automotores, reboques e carrocerias.

Em âmbito nacional, dez dos 14 locais pesquisados apresentaram aumento no ritmo de produção industrial. Assim, registrou-se um crescimento de 0,8% na produção industrial nacional em maio em relação ao mês anterior. Nas demais bases de comparação o País registrou crescimento de 4% em maio deste ano sobre o mesmo mês do exercício anterior, de 0,5% no acumulado do ano até o quinto mês e queda de 2,4% nos últimos 12 meses.

No caso de Minas Gerais, segundo o economista da coordenação de indústria do IBGE, Rodrigo Lobo, a variação na série com ajuste sazonal foi muito próxima da estabilidade (0,2%). Tanto que, segundo ele, na comparação mensal foi registrado crescimento de 2,5% ante a mesma época de 2016 e, no acumulado de janeiro a maio, alta de 2,1% sobre o mesmo período do ano passado.

“Ainda vem sendo registrada uma instabilidade mês a mês. Tanto que nos últimos 12 meses o resultando ainda está negativo em 1,7%”, explicou.

Mês - Oito das treze atividades pesquisadas apontaram aumento na produção em Minas Gerais na comparação mensal. Os principais impactos positivos sobre a média global da indústria neste tipo de confronto foram registrados pelos setores de veículos automotores, reboques e carrocerias (12,9%) e de indústrias extrativas (3%). Outros avanços importantes também foram observados nos segmentos de metalurgia (3,4%) e de produtos de metal (17,7%).

Em sentido oposto, o setor de outros produtos químicos (-13,7%) exerceu a principal influência negativa sobre o total da indústria mineira. Além disso, coque, produtos derivados de petróleo e biocombustíveis registraram baixa de 2,1% e produtos alimentícios de 0,7%.

Acumulado - Já o índice acumulado dos cinco primeiros meses de 2017 da produção industrial do Estado contou com seis dos treze ramos pesquisados apontando crescimento na produção.

A principal contribuição positiva sobre a média foi registrada pela atividade de indústrias extrativas (11,7%). Além disso, também se destacaram máquinas e equipamentos (11,5%), produtos têxteis (11%).

Na outra ponta, os setores de produtos alimentícios (-3,1%), de metalurgia (-1,9%) e de coque, produtos derivados de petróleo e biocombustíveis (-2,0%) exerceram as principais influências negativas sobre o total da indústria do Estado.

Para ler a notícia completa Assine aqui o JN Notícias


Comentários