ÁREA DO ASSINANTE






Atualizado em 02/03/2017

TARIFA DE LOTAÇÃO: Prefeitura avalia reajuste

Foto:

A tarifa do transporte coletivo urbano em Montes Claros deve ser reajustada, nos próximos dias, com índice de 7,6%, o que representa a inflação do período. De R$ 2,60 deve passar para R$ 2,95, conforme reivindicação apresentada pelas empresas que atuam no setor à administração municipal. O pedido foi protocolado na MCTrans, responsável por gerir o transporte e o trânsito, nessa quinta-feira, pela Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Montes Claros (ATCMC). E a expectativa é de que seja homologado pelo prefeito Humberto Souto, do PPS e comece a valer nos primeiros dias de março.

Ao passar a informação em absoluta primeira mão nessa sexta-feira ao participar do Programa Na Corda Bamba, na Rádio Terra-AM, a gerente da ATCMC, Jaqueline Camelo disse que na verdade não se trata de reajuste, mas de atualização dos valores, que estão defasados, tomando por base a inflação do período. Segundo ela, mesmo com a recomposição, que é fundamental para reequilibrar as finanças das empresas que atuam no setor há anos, a tarifa em Montes Claros continua sendo uma das mais baratas de Minas das cidades de seu porte.

“Ninguém gosta de reajuste em qualquer setor, mas não tem jeito. A recomposição é fundamental e indispensável para reequilibrar as finanças das empresas, para que continuem atuando”, sustenta Jacqueline Camelo, ao frisar que a medida é necessária, em função do aumento dos custos das empresas, com diversos fatores, como a data base dos trabalhadores, que tiveram os salários recompostos. Lembra que a recomposição é de apenas 7,6%, o que deve representar a inflação do período. Assim, a tarifa que havia sido reajustada pela última vez para R$ 2,70, mas foi fixada em R$ 2,60, passará para R$ 2,95.

SERVIÇOS – As empresas, segundo ela, que exploram os serviços em Montes Claros há mais de 30 anos, estão se preparando para participar de nova licitação, que será realizada pelo Município, enquanto poder concedente, no segundo semestre deste ano. De acordo com  Jaqueline Camelo, a Transmoc e a Princesa do Norte trabalham diariamente para a melhoria da prestação de serviços, de forma a deixar o usuário mais satisfeito. Contudo, reconhece que há falhas, mas que devem ser corrigidas gradativamente, com a participação direta da população, através dos apontamentos destas e também de possíveis soluções.

De acordo com a gerente da ATCMC, as empresas sempre estão dispostas ao diálogo a ouvir as reclamações dos usuários, razão maior da existência delas, para tomar medidas que visem aprimorar os serviços. Lembra que a preocupação em atender bem se confirma a partir do momento que as empresas têm setores específicos para acompanhar e avaliar a execução dos serviços no dia a dia. “O canal de comunicação com  os usuários está permanentemente aberto. Todos podem nos procurar para fazerem as críticas e apresentarem as sugestões. Vamos construir juntos, um transporte coletivo de qualidade, que atenda cada vez melhor a população”, garante.

Ela chama a atenção para o fato de que, para que haja melhoria do serviço não depende somente das empresas, mas também do Município. Cita como exemplo que a questão do não-cumprimento dos horários não é por culpa das empresas, mas do trânsito complicado, nas ruas apertadas e congestionadas do centro. Para solucionar o problema depende de a Prefeitura colocar em prática o projeto de mobilidade urbana, que significa intervenções pontuais em diversas regiões, que permitam fluidez no trânsito.

Para ler a notícia completa Assine aqui o JN Notícias


Comentários