ÁREA DO ASSINANTE






Atualizado em 14/09/2017

Frente anuncia ação em defesa da Cemig

Após reunião de emergência realizada nessa terça-feira (12/9/17), a Frente Mineira de Defesa da Cemig anunciou que novas medidas serão adotadas contra o leilão de quatro usinas sob a concessão da empresa, marcado pela União para ocorrer no próximo dia 27.

Entre as medidas divulgadas estão a mobilização de entidades em ações populares na Justiça contra o leilão e a atuação do Ministério Público (MP) por meio de ações civis públicas movidas junto às varas federais no Estado.

O intuito do MP é defender o consumidor contra possíveis prejuízos com o leilão. "Teremos uma guerrilha jurídica", frisou o deputado Rogério Correia, do PT, 1º-secretário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e coordenador da frente.

Lançada na ALMG em julho passado, a frente reúne, além de parlamentares, representantes da empresa, entidades empresariais e de trabalhadores, movimentos sociais e órgãos públicos, e atua contra o leilão das Usinas de Jaguara, São Simão, Miranda e Volta Grande, no Triângulo Mineiro.

A reunião de emergência, realizada na sede da empresa, em Belo Horizonte, foi convocada em função de decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) suspendendo qualquer negociação entre a União e a Cemig. "É algo absurdo não permitir sequer que a Cemig possa negociar", classificou o deputado.

Além do ato de protesto agendado para esta sexta-feira (15), durante visita da Comissão de Minas e Energia à Usina de Jaguara, foi anunciada, ainda, a realização de um seminário jurídico na próxima segunda-feira (18), às 9 horas, para avaliar outras medidas visando à impugnação do leilão. O evento será na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG). A entidade está à frente da organização do debate, juntamente com o Ministério Público.

Para ler a notícia completa Assine aqui o JN Notícias


Comentários