ÁREA DO ASSINANTE






Atualizado em 11/09/2017

CONTA DE ÁGUA: Vereador critica a Copasa pela pretensão em aumentar a tarifa

Foto:
VEREADOR Edmilson Magalhães condena reajuste por parte da Copasa

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) foi duramente criticada por vários vereadores, na reunião ordinária da Câmara Municipal de Montes Claros, na manhã da última terça-feira (5/9), pela falta de planejamento e de investimentos em novos reservatórios. Além disso, a pretensão da concessionária em aumentar a tarifa de água em 10,82% foi atacada com veemência pelo 2º secretário do Legislativo, Edmilson Magalhães (PSDB). “Como aumentar a tarifa se a gente não tem água”, questionou o parlamentar, cobrando uma postura do prefeito Humberto Souto (PPS), destacando que é o município de Montes Claros é que o dono da outorga e que não deve permitir que o aumento ocorra.

Segundo Edmilson Magalhães, não dá para se falar em aumento de tarifa num momento como este (de crise hídrica), ressaltando que, se possível for, deve-se acionar a justiça para evitar que a Copasa venha a conseguir o seu objetivo. “Precisamos mostrar a força desta Casa (Legislativa) e do município”, bradou o vereador da tribuna da Câmara. Magalhães vem, insistentemente, denunciando que a Copasa está operando em Montes Claros de forma irregular, uma vez que o contrato que tinha com o município estaria vencido há três anos, o que já seria motivo o suficiente para impedir que ela venha a reajustar a tarifa de água.

O legislador, inclusive, procurou o prefeito Humberto Souto (PPS) para cobrar esclarecimento sobre o contrato, na expectativa de que a situação seja resolvida. “Iremos cobrar do município e da procuradoria municipal uma solução rápida para esse impasse, exigindo da Copasa que a ela cumpra com suas responsabilidades e faça investimentos para solucionar o problema da falta de água em Montes Claros e na região”, prometeu Edmilson Magalhães, bastante preocupado com o desabastecimento de água na cidade.

AUDIÊNCIA PÚBLICA

Antes, porém, Edmilson Magalhães parabenizou os colegas Aldair Fagundes (PT) e Rodrigo Cadeirante (REDE) pela iniciativa de se realizar uma audiência pública para que a Plantar Reflorestadora tenha oportunidade de esclarecer a população sobre as denúncias de que estaria fazendo captação irregular no Rio Juramento para irrigar plantações de eucalipto, impedindo que a água chegasse à Barragem da Copasa, responsável por 65% do abastecimento de Montes Claros. “É uma oportunidade para a Plantar clarear as coisas e ver quem é o vilão”, disse Magalhães, esperando que os representantes da empresa estejam na audiência pública com a documentação para esclarecer os fatos.

TREVO DA REAL

A revitalização do Trevo da Real também esteve entre os principais assuntos debatidos na Câmara Municipal de Montes Claros, na manhã da última terça-feira. O vereador Valcir da Ademoc (PTB) infirmou que teria elaborado um requerimento direcionado ao prefeito Humberto Souto para cobrar informações sobre a obra, orçada em R$ 270 mil, que começou no dia 14 de agosto e depois fora paralisada por falta de brita, em prejuízo aos moradores, que passaram a conviver com a poeira e falta de segurança no local. Entretanto, ao final de reunião, Edmilson Magalhães informou que o problema já teria sido sanado e que as obras seriam retomadas imediatamente pela equipe da Esurb.

 

Para ler a notícia completa Assine aqui o JN Notícias


Comentários